top of page
Buscar

A Teoria em EMergia: conceitos e aplicações para o desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável

Atualizado: 11 de jan.

Rafael Araújo Nacimento

Biagio Fernando Giannetti

Augusto Hauber Gameiro

O ambiente terrestre fornece o aporte necessário para a manutenção da sociedade e sua economia. No entanto, após séculos de consumo acelerado das reservas de recursos, o crescimento frenético levou estas reservas a um novo estágio. Hoje, a formação de políticas públicas está estritamente pautada em discussões sobre a proteção do meio ambiente para a promoção do bem-estar público e o desenvolvimento econômico futuro. Embora este desafio já tenha sido previsto pelo Prof. Howard T. Odum desde os anos 60, só agora a sociedade mundial parece se preocupar com a temática.


Divergências acerca do desenvolvimento econômico versus o cuidado pelo meio ambiente podem ser evitadas em futuras tomadas de decisão a partir da utilização de uma ciência baseada na avaliação de sistemas que possibilite integrar valores econômicos a valores ambientais. Esta proposta é o assunto deste breve texto.

Uma possível resposta para o desafio da sustentabilidade


Como ciência, a eMergia (escrita com M) surge como teoria e como ferramenta que possibilita integrar valores econômicos a valores ambientais com o uso de uma métrica comum a ambos. Tradicionalmente, eMergia é descrita como “a eNergia disponível de um tipo, previamente usada direta ou indiretamente para fazer um dado produto ou serviço”. A eMergia, portanto, mede o esforço da natureza e de seres humanos na geração de produtos e serviços. Também pode ser entendida como a “Memória energética”.


As bases da teoria da emergia


A Teoria da Emergia se apoia em três bases principais: na Teoria de Sistemas Gerais (de Von Bertalanffy); nas Leis da Física (especialmente nas da Termodinâmica) e nos conceitos de Ecologia. Na sua Teoria da Emergia, Odum propõe haver uma hierarquia de qualidade entre as energias. Por exemplo, ele afirma que 100 J (J = joule, uma medida de energia) de petróleo possui menor qualidade do que 100 J de álcool, pois o último exige um maior esforço (um maior “custo energético”) para sua produção, medido em eMergia.

Embora seja um método criado há, relativamente, não muito tempo, a Teoria em Emergia vem sendo desenvolvida desde meados dos anos 50. Inúmeros estudos acadêmicos utilizaram-na para comparar diferentes sistemas de produção, desde alternativas para sistemas de produção urbanos até alternativas para sistemas agrícolas, pecuários e agroindustriais, dando origem a teses e dissertações, livros, artigos, resumos científicos, dentre outros.


Perguntas possíveis de serem respondidas a partir da teoria da emergia


A partir da Contabilidade Ambiental baseada em Emergia é possível responder a perguntas nos mais diversos campos de estudos das mais diversas áreas da ciência. A partir da adoção de determinado framework, podem se ter como exemplos de aplicações:

(i) A avaliação da sustentabilidade de inúmeras alternativas aos combustíveis fósseis para a geração de energia;

(ii) A avaliação do desempenho de países a partir da integração das dimensões econômica, social e ambiental para o desenvolvimento de políticas para o benefício público;

(iii) A avaliação de vantagens (ou desvantagens) nas trocas comerciais entre as diferentes regiões do globo. Aqui, para uma avaliação mais justa, a informação e o “intercâmbio populacional” são considerados como uma importante moeda de troca e de alta qualidade e que comumente não é possível ser considerada em recursos monetários.

(iv) Avaliações econômico-ecológicas para a implantação de projetos de empreendimento visando a sustentabilidade no longo prazo;

(v) Avaliação do custo ambiental de determinado sistema em detrimento a outro, identificando gargalos que impeçam sua maior sustentabilidade; dentre outras possibilidades de aplicação.

Quem somos e nossos convites


Tema de nossos estudos mais recentes no EMgrupo (Grupo de Estudos em Emergia, vinculado ao Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal, o LAE/FMVZ/USP), o livro “Environmental accounting: Emergy and environmental decision making” do Professor Howard T. Odum (1996), é o livro seminal da Teoria em Emergia. Nele, o Professor Odum traz à luz, além de uma introdução à contabilidade ambiental em emergia, sua base teórica, procedimentos de cálculo, e exemplos de aplicação.

Para os interessados nesta temática, aproveitamos para convida-los a participar do 11th Biennal Conference – Emergy and Environmental Accounting que acontecerá entre os dias 12 e 14 de janeiro. O evento contará com a possibilidade de participação virtual. Para maiores informações, clique aqui e acesse o site do evento.


44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page